O Sindicato dos Professores da Região de Lagos (Sinpro) protesta, veementemente, contra a política de vacinação contra a covid efetuada pela prefeitura de Arraial do Cabo, relativa aos grupos prioritários, entre eles, os educadores. De uma maneira discriminatória, incompreensível e ilegal, a prefeitura não está vacinando os professores e professoras que trabalham nos estabelecimentos privados de ensino, que o Sinpro representa – a vacina está sendo aplicada apenas àqueles que trabalham nas escolas públicas.

Essa decisão é discriminatória porque, afinal, a categoria é uma só. Qual o motivo de separar os educadores? E é ilegal porque a Lei estadual nº 9.203/21, de 11/03/2021, assinada pelo governador em exercício, Claudio Castro, determina que: “São considerados profissionais da educação, para efeitos da presente Lei (vacinação dos grupos prioritários), todo aquele que desempenhar suas atividades laborais direcionadas aos alunos e às escolas, nas redes pública e particular”.

Dessa forma, o Sinpro Lagos reafirma que irá buscar as autoridades do município, reivindicando que a nossa categoria também seja incluída, de imediato, na vacinação.

Open chat